Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

"Estas & outras Cumplicidades"

"Estas & outras Cumplicidades"

Línfomania - Alto aí e para o baile, soaram os alarmes

20.04.24, cumplicedotempo

002 (1).png

 

E assim chegamos ao meu querido mês de agosto, vida perfeitamente tranquila, sem sintomas, mas claro está, o incomodo obvio daquela coisa que persistia em se manter intacta como que se ela também esperasse pacientemente pela dita consulta.

Convém lembrar que esse pedido de consulta “normal” devia-se a isso mesmo, não existir outras alterações nem qualquer tipo de sintomas, e devido a época do ano em que estávamos, sabia-se de antemão que iria demorar algum tempo até poder ser chamado, mas sempre ficou claro que havendo qualquer novidade, o encaminhamento estava feito, e que caso necessário, deveria então voltar a contactar e/ou dirigir-me a quem tratou do mesmo.

E não foi preciso esperar muito, até uma bela noite de verão, em que um novo interveniente decidiu juntar se esta aventura linfomaníaca, é isto vai começar a aquecer, oh se vai!

Apresento-vos o gânglio, no meu caso da axila direita, para quem não sabe e de forma muito simples, os gânglios são uns tipos porreiros que temos em variadas partes do corpo, que servem para nos alertar sobre a existência de problemas e também ajudar a combater infeções e/ou inflamações de variados tipos e origens. São tipo uns homenzinhos com um saquinho que vem buscar o lixo todo para depois o deitar fora, obvio quando o conseguem sozinho, o que nem sempre é o caso.

Por isso, os médicos gostam muito de nos apalpar, e é mesmo a procura desses tipos porreiros, e não pelas nossas feições corporais divinais.

E cá para o cúmplice foi “alto aí e para o baile” que agora já estamos a desconversar, não me bastava a dita cuja fazer de cabide lá pelo ombro direito, e agora vou ter que levar com uma bola na axila, e estamos a falar numa bola que tanto num dia parece um berlinde, como no outro mais parece uma de pingue pongue, logicamente “Soaram os alarmes”

E desta vez, sem muitas demoras, tempo de voltar ao hospital e a Dr. R, atualizar a situação, tirar fotografias, apalpa aqui, apalpa ali, tem febre, não tem febre, doi, não doi, fala aqui, fala ali, e não se podendo nem devendo esperar pela tal consulta normal, encaminhamento para uma consulta urgente de dermatologia e aí ….

Cenas do próximo capítulo; “Urgente ou não urgente… eis a questão”

12 comentários

Comentar post